quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

A minha história com a Língua Portuguesa começou...

... há muitos anos, ainda eu era uma criança e estava de férias com os meus pais em Portugal.
Chegámos muito tarde ao hotel e fomos logo ao restaurante porque estávamos com uma fome de lobo. Ora, o jantar só seria servido uma hora mais tarde. Para nos consolar, os vizinhos da nossa mesa ofereceram-nos o pão deles.

E foi assim que eu aprendi as minhas primeiras palavras portuguesas, perguntando: "onde fica a manteiga?" (hoje sei que seria "onde está a manteiga?").

MORAL DA HISTÓRIA: A voracidade ajuda na aprendizagem das línguas!
== CLU ==

... depois de uma noite num combóio que foi de Madrid a Lisboa. Eu não tinha pegado olho quase toda a noite porque não havia nenhum lugar para dormir. A situação fez-me lembrar uma madrugada quase igual na mesma viagem quando acordei em Espanha e ouvi espanhol pela primeira vez "ao vivo". Tinha 17 anos e não compreendia nada, nem espanhol, nem português. Mas desde esse primeiro momento, gostei do som da língua portuguesa. Fiquei surpreendido porque com o espanhol tinha sido um pouco diferente.

Decidi que iria aprender português um dia. Mal passaram 20 anos, começei a fazer o que tinha decidido.
== MB ==


COMO COMEÇOU A VOSSA HISTÓRIA COM A LÍNGUA PORTUGUESA?


Contem lá um bocadinho... foi paixão à primeira vista, como o MB? ou nasceu de uma necessidade, como a CLU? Partilhem as vossas histórias, neste espaço aberto a todos...
.

4 comentários:

Carmen Rojas disse...

Queridas faladoras, apareçam por este blogue
e sumerjam-se gramaticalmente com uma das melhores vozes da música portuguesa.

Pepe disse...

Boa tarde, cotovelianos!
Ourivesaria, toalhas, Caixa Geral, padaria, pastelaria, ... foram das primeiras palavras que vi em português, na cidade de Elvas. Chamou-me a atenção a sonoridade da língua, mas não compreendia nada: era tão fácil ler!
No restaurante falavam espanhol sem dificuldade e, mesmo, pagámos com "pesetas". Mas sempre me lembraré do pão e manteiga, das amêijoas, do bacalhau dourado, dos carabineiros, do vinho e da cerveja, e das exquisitas sobremesas. Foi o meu primeiro almoço em Portugal. Depois vieram muitos. Mas ainda conservo essa lembranças.

boralá disse...

é mais um testemunho a comprovar que pela boca e pelos ouvidos entra a língua e vai direitinha ao estômago LOL

MIGUEL ABREGO disse...

Eu moro muito longe de os paises que falam português, a nascido como um amor a primeira vista.